Dívida Técnica: o maior gerador de custos no seu e-learning

O sonho de criar uma escola online de sucesso pode se transformar em um pesadelo se você não tomar cuidado com a dívida técnica. Esse conceito se refere às decisões tomadas durante o desenvolvimento que geram problemas pro futuro para a gestão da sua plataforma educacional.

Imagine a seguinte situação: você investe tempo e dinheiro na criação de uma plataforma de cursos online, mas logo ela se torna lenta, instável e difícil de usar pelos alunos e por você. Os seus clientes ficam frustrados, as taxas de abandono aumentam e você se vê preso em um ciclo de manutenções corretivas que drenam seus recursos.

A boa notícia é que você pode evitar esse pesadelo. Neste post, vamos explorar os perigos da dívida técnica no e-learning e te mostrar como construir uma plataforma gerenciável que te levará ao sucesso.

O que é dívida técnica?

Dívida técnica (tech debt), no seu conceito mais abrangente, se refere às decisões tomadas durante o desenvolvimento que geram código de baixa qualidade e que gerarão retrabalhos no futuro – principalmente porque você terá que refazer o código.

A dívida técnica muitas vezes é “contraída” porque você tem que implementar uma prova de conceito, mas também pode ser feita por inexperiência do programador e arquiteto de soluções.

Assim como uma dívida financeira, a dívida teçnica acumula juros: o que hoje parece um atalho rápido, amanhã se torna um obstáculo para implementar novas funcionalidades, corrigir bugs ou integrar novas tecnologias. E quanto mais você desenvolve em cima de código ruim, pior vai ficando todo seu trabalho.

O resultado? Plataformas lentas, instáveis e com interfaces pouco intuitivas, frustrando alunos e desmotivando a equipe. De certa forma, é correto afirmar que todas as empresas têm algum tipo de dívida técnica em seus códigos.

Como a escolha da tecnologia impacta o futuro.

Emprestando do conceito acima, aqui na Poly Studio, a gente gosta de se referir a limitações tecnológicas como parte da dívida técnica. Diferentemente dela, entendemos as limitações tecnológicas são parte inerente do processo de escolha, que vão impactar o futuro da sua plataforma. Toda escolha em tecnologia gera um tipo de limitação.

Por exemplo, se você escolher o LearnDash, apesar de nós o considerarmos o melhor LMS do mercado hoje, ele gera uma série de restrições. Todo LMS tem restrições. Por exemplo, o LearnDash tem uma estrutrura pior para geração de relatórios, enquanto outro LMS terá um sistema de relatórios melhor. Contudo, a maioria dos LMS de mercado hoje não permite uma customização no nível do LearnDash.

Sempre que estamos customizando uma plataforma pronta, ainda mais no grau que o WordPress e LearnDash permitem (somos uma agência especialista em soluções de e-learning), você cria algum tipo de atalho – e isso pode gerar dívida técnica se for mal feita.

Ou seja, toda decisão tecnológica de hoje gerará limitações que forçarão os desenvolvedores por caminhos X ou Y. 

Por que você deve se importar com isso?

Agora que você está pensando em ter uma plataforma educacional ou já tem uma, é importante sempre considerar os impactos que suas decisões terão no futuro. Evitar a dívida tecnológica no e-learning é fundamental para garantir a escalabilidade e o sucesso a longo prazo da plataforma. Investir em um planejamento estratégico, arquitetura e testes pode parecer um custo adicional no curto prazo, mas evitará muita dor de cabeça.

Alguns exemplos de como isso impacta seu negócio.

Maior agilidade e flexibilidade para implementar novas funcionalidades.

Uma plataforma bem pensada levará em conta as possibilidades futuras. Se você pensar sua plataforma sem considerar o que ela pode ser/ter no futuro, você pode criar barreiras e entraves para você mesmo. 

Exemplo: Imagine que você está criando uma plataforma de e-learning para cursos online de culinária. Você decide usar uma plataforma simples e barata que possui apenas vídeo e texto como formato de conteúdo.

Contudo, passam-se três meses e você decide adicionar cursos mais interativos para demonstrar as receitas, como imagens, acordeões para conteúdos extras, e afins. Para isso, você agora precisará de uma nova plataforma, tendo que refazer todo o conteúdo e transferir seus usuários.

Um pouco de planejamento inicial teria evitado isso.

Melhor experiência do aluno, com interfaces intuitivas e conteúdos acessíveis.

A UI (user interface, ou interface do usuário) é a parte da plataforma com a qual os alunos interagem diretamente, e um design ruim pode prejudicar significativamente a experiência de aprendizado.

Um dos principais problemas do dívida tecnológica na UI é a falta de planejamento. Quando uma plataforma é desenvolvida sem um plano de médio ou longo prazo, a UI tende a ser desenvolvida de forma improvissada, com recursos e funcionalidades sendo adicionados sem considerar o impacto geral na interface. Isso pode levar a uma UI confusa e desorganizada, com elementos inconsistentes e navegação difícil.

Um grande exemplo disso que eu vejo é nos painéis de usuário (dashboard), que inicialmente deveria ser uma interface limpa pros alunos navegarem melhor no site, tendo acesso aos conteúdos mais importantes e informações mais relevantes.

Mas é muito comum de os administradores adorarem a ideia e prontamente transformarem o dashboard em uma maré de dados, informações, links, widgets, imagens e tudo mais, tornando mais em mais uma página confusa do que algo útil.

Segurança e confiabilidade na plataforma de e-learning.

O planejamento tecnológico é crucial para garantir a segurança e confiabilidade da plataforma de e-learning. Uma plataforma segura e confiável protege os dados dos alunos, evita falhas e otimiza o desempenho, proporcionando uma experiência de aprendizado positiva e eficiente.

Sem um mínimo de planejamento e com adições de códigos mal-feitos e plugins ruins, você pode abrir brecha para vazamento de informações, bugs, vulnerabilidades fáceis de serem evitadas, e por aí vai.

E o custo disso pode ser muito alto: desde você apenas perder acesso à sua plataforma por completo e ter que refazê-la, até o mais grave como informações confidenciais dos seus alunos.

Como fazer planejamento da sua plataforma se ela está no começo?

Depois de ter lido este post, você pode pensar que é muito difícil de prever o futuro, ainda mais de um negócio que está começando. Sim, de fato. Contudo, tenho duas visões:

1) Você provavelmente já conhece o seu público e o seu mercado.

Use essas informações para imaginar que tipo de recursos você precisará no futuro, quais são os recursos que plataformas concorrentes têm e o que seus alunos esperam/gostariam de ver. Você não precisa fazer tudo, mas só o fato de o seu gestor de produto saber que essas são as possibilidades, pelo menos ele vai tomar decisões que não contrariem ou prejudiquem seus planos futuros.

2) Assumir que toda plataforma têm limitações por conta da tecnologia usada.

Como disse no começo, não existe solução que não traga restrição. Por isso, é importante você conhecê-las antes de adotar alguma tecnologia. Chamamos de tech stack o pacote de soluções tecnológicas que seu site usa ou precisa para funcionar/ser construído.

Seu papel (e do seu gestor de plataforma) é conhecer bem a tech stack, suas limitações, restrições, integrações e afins. Não à toa, quando nós da Poly dizemos que somos especialistas em WordPress e LearnDash é por conta disto: essa é a tech stack que temos profundo conhecimento e sabemos como operar. Nós conseguimos, e já trabalhamos, com diversas outras tecnologias para a construção e customização de soluções de e-learning; mas não no nível que temos hoje.

Contrate um bom gestor de produto educacional.

Evitar e minimizar o impacto da dívida técnica no seu e-learning é fundamental para o sucesso da sua plataforma educacional no médio e longo prazos. Ao escolher um bom gestor de produto, você terá a expertise e o suporte necessários para tomar decisões mais informadas e construir uma plataforma robusta, escalável e segura.

Um bom gestor de produto possui as habilidades e conhecimentos para compreender as necessidades do seu público-alvo e do mercado, definir a visão estratégica para a plataforma e te ajudar a tomar decisões melhor informado.

Ao investir em um bom gestor de produto, você estará investindo no futuro da sua plataforma educacional e garantindo menos dores de cabeça pro seu eu do futuro.

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *