fbpx

Post de blog

Como usar as redes sociais em conteúdos educacionais

Aprenda a usar redes sociais em conteúdos educacionais, como instrutor, escola ou empresa, para aproveitar o poder das redes na educação!

Existem muitas maneiras diferentes de usar as redes sociais em conteúdos educacionais. Esses canais têm vários usos em sala de aula, bem como para ajudar a comercializar e promover escolas e universidades corporativas, e também para auxiliar nos conteúdos gerados pelas empresas.

Por acreditarmos no poder das mídias sociais para tornar quase tudo mais fácil (até mesmo a vida do professor), identificamos 12 maneiras de usar as redes sociais em conteúdos educacionais, ainda mais se falarmos de Customer Education.

O foco deste texto é tanto para professores quanto para empresas.

Como usar as redes sociais em conteúdos educacionais.

A mídia social e a tecnologia são partes faz tempo da nossa rotina. Tem gente que acorda e já vai conferir suas atualizações. Portanto, integrar o uso delas na sala de aula é mais natural do que antes, dado o quão acostumadas as pessoas estão com elas. Claro, não vamos abordar aqui sobre saúde mental e os riscos do alto uso das redes sociais, porque isso é um outro tópico – muito importante, diga-se de passagem.

Cada plataforma de mídia social oferece muitas maneiras diferentes de serem usadas em sala de aula, depois dela ou como gerador de conteúdo mesmo. Isso vai desde o compartilhamento de anúncios até a realização de palestras ao vivo e muito mais.

Em primeiro lugar, a mídia social fornece uma ferramenta de comunicação mais suave e direta entre alunos, professores e designers instrucionais. Assim, todos podem criar conteúdo, interagir e acompanhar os resultados.

A mídia social também permite oportunidades diferentes de aprendizado. Como os empregos remotos e as aulas online estão se tornando mais populares, as pessoas estão indo além daquele conteúdo tradicional em vídeo e texto e experimentado novas formas.

É importante entender o impacto da mídia social na educação antes de usá-la, mas temos a firme convicção de que ela ajudará os alunos a progredir em tecnologia

Primeiro, vamos falar sobre as diferentes maneiras como usar as redes sociais em conteúdos educacionais, abordando como instrumento de ensino. Depois, vamos abordar do ponto de vista de uma empresa que queira trabalhar com conteúdo para educar seus clientes, sob o prisma de Customer Education.

1) Use uma página do Facebook ou Instagram para transmitir atualizações e alertas.

As duas redes sociais podem ser a plataforma de mídia social perfeita para incorporar nos seus conteúdos. Em vez de colocar instrutores e alunos em uma jornada na curva de aprendizado ao lidar com um painel tradicional de sala de aula online, atenha-se a algo que todos já conhecem.

Peça aos alunos que sigam a página da turma ou da sua empresa, e o instrutor pode usá-la para postar atualizações da turma, compartilhar tarefas de casa e incentivar a discussão.

Mesmo que um aluno não tenha conta em uma dessas plataformas, essas páginas podem ser acessadas mesmo que você não tenha logado. No entanto, lembre-se de que as páginas do Facebook e Instagram são públicas e qualquer pessoa com uma conta nelas pode comentar as postagens. Por isso, informações mais confidenciais deverão ser tratadas por outro canal.

Claro, já vimos também páginas fechadas (recurso exclusivo do Instagram) de páginas que só aceitam seguidores que sejam seus alunos.

Se você é um instrutor e possui uma “marca” pessoal, você pode usar esse canal para elaborar explicações, gerar cases e testar novos conteúdos. Nós aqui da Poly acompanhamos o trabalho da @brasileiraempreendendo e a Diana faz um trabalho fantástico em conversar com quem é seu aluno, enquanto cria conteúdo para quem pode ser um futuro aluno.

2) Use grupos do Facebook para transmitir palestras ao vivo e comandar discussões.

Os instrutores também podem criar grupos do Facebook para cada uma de suas classes – públicas ou privadas – e transmitir palestras do Facebook Live, postar questões para discussão, atribuir tarefas de casa e fazer anúncios sobre as aulas.

Mantenha os alunos envolvidos durante os intervalos entre uma live e outra, por exemplo, abrindo discussões, respondendo dúvidas, postando links para novos conteúdos e gerando maior identificação contigo.

Ao usar as redes sociais em conteúdos educacionais, é importante garantir um limite profissional. Portanto, ao configurar um Grupo do Facebook, os moderadores não precisam enviar pedidos de amizade. Envie um e-mail para pais e alunos com um link direto para o Grupo do Facebook para acesso.

Os grupos são a “base pessoal” perfeita, especialmente para um curso online e podem facilitar a conexão com o aluno.

3) Use o Twitter como um canal de debates da turma.

O Twitter pode ser ótimo como um fórum para uma turma. Os instrutores podem criar um usuário único do Twitter por turma e reutilizá-lo todos os anos, ou podem criar um novo canal a cada curso. O limite de 280 caracteres faz os alunos pensarem criticamente sobre a comunicação concisa e eficaz, uma habilidade benéfica a ser desenvolvida.

laro, algumas nuances podem ser perdidas, por isso você tem que pensar que não dá para escrever uma resenha ou uma obra literária na plataforma.

O instrutor e empresas podem usar o Twitter para postar lembretes de datas de aulas, novos conteúdos, compartilhar citações inspiradoras e links úteis para seus alunos e seu nicho.

O instrutor também pode criar discussões e chats no Twitter em torno de uma hashtag específica que eles criaram.

4) Use o Instagram para conteúdos visuais.

Em uma matéria ou assunto com visual pesado, os instrutores e empresas podem usá-lo para criarem conteúdos que expliquem de forma mais “nativa” para os usuários. As pessoas estão acostumadas com o formato de carrossel, vídeo, reels e stories para interagir com conteúdos.

Os alunos podem criar contas do Instagram específicas para a turma e podem excluí-las após o término do curso, se assim desejarem.

Além disso, os recursos efêmeros e meios de criação de conteúdo permitem uma interação muito, muito próxima com o público.

5) Crie um blog para discussões.

Escrever postagens em blogs oferece aos alunos outra saída para conteúdo digital que eles podem facilmente vincular de volta aos canais sociais da turma. Existem muitas plataformas diferentes disponíveis, como WordPress, SquareSpace, Wix, Blogger, Tumblr ou Medium, onde os professores podem criar um blog sobre o tema.

Inclusive os próprios alunos podem criar suas contas para interagir com os posts ou até mesmo para postar conteúdos.

É uma ótima maneira de dinamizar um pouco o conteúdo em novos formatos, aproveitando que você tem texto, imagens, links, vídeos, HTML5 e tudo mais dentro de uma mesma página de post.

6) Usar o blog como tarefa de casa.

Fazer com que os alunos criem seus próprios conteúdos para blogs ou redações curtas é outra estratégia para combinar redes sociais em conteúdos educacionais.

Escrever um texto para o blog da escola como uma tarefa pode melhorar a escrita, pensamento lógico e consolidação do aprendizado, assim como o pensamento crítico, dos alunos.

Crie uma tarefa, defina um mínimo de palavras e dê um prazo limite. Se eles não entenderem de redação para blogs, não tem problema. Se seu interesse é publicar esses artigos, você pode fazer uma readequação do conteúdo ou mesmo passar links e instruções de como eles podem fazê-lo.

7) Crie um painel do Pinterest específico para a turma.

Os instrutores podem criar painéis no Pinterest para cada uma de suas aulas e salvar pins que sejam relevantes para as aulas.

O Pinterest é uma ótima plataforma de mídia social para professores usarem para preparar e organizar recursos, planos de aula e planilhas para suas aulas em um só lugar. Crie quadros de acordo com a classe ou assunto e crie quadros de subtópicos para unidades semanais ou todas as planilhas.

O Pinterest também pode ser útil para os alunos fazerem a curadoria de uma bibliografia digital para projetos de pesquisa, artigos ou trabalhos em grupo. Os alunos podem fixar sites, livros ou vídeos em um quadro sobre um único tópico e consultá-los na hora de escrever.

8) Inclua links de mídia social no site da sua escola.

Torne mais fácil para os alunos encontrarem os perfis de mídia social da sua escola ou página profissional adicionando links na navegação principal do site ou em alguma pagina.

Muitas pessoas verificarão o seu site primeiro se estiverem interessados, e oferecer ainda mais maneiras de acompanhar o seu trabalho dará uma nova perspectiva para eles de como você é.

Você pode, adicionalmente, criar uma página de “Contato” ou mesmo um agregador de links, como Linktree.

9) Compartilhe eventos e fotos das instalações ou prints das aulas.

Se você deseja atrair novos alunos e pais para seus cursos, compartilhe fotos e eventos para mostrar o que eles podem esperar. Desde fotos de eventos presenciais até print do seu LMS (plataforma de ensino).

Destaque eventos e atividades extras pode fazer sua marca se sobressair das demais. Enquanto os sites de escolas tradicionais tendem a seguir o mesmo molde, as redes sociais permitem que você seja mais único e casual.

10) Crie grupos do Facebook com base em interesses.

Muitas pessoas querem se envolver em suas escolas mesmo depois de terminarem o conteúdo. Ou mesmo pessoas que ainda não estão prontas para se tornar seus alunos terão interesse em seguir seus conteúdos, se eles forem bons. A criação de grupos no Facebook para alunos e ex-alunos atuais pode aumentar o envolvimento e o espírito escolar.

Grupos de ex-alunos, grupos para diferentes temas permitem que os alunos se envolvam e conheçam outras pessoas com interesses comuns.

Os grupos podem ser fechados ou secretos, o que significa que só podem ser vistos por convite ou aprovação de um administrador do grupo, ou podem ser abertos para que alunos em potencial possam verificar os tipos de conversas e eventos que esses grupos estão tendo antes de solicitar.

Só tenha certeza de qual será sua estratégia para você conseguir planejar bem o tipo de conteúdo que será conduzido e elaborado para um grupo tão aberto assim.

11) Crie uma estratégia de crise na mídia social.

Uma coisa que sempre falamos para nossos clientes é: não comece usando todas as redes sociais em conteúdos educacionais de uma vez só. Faça um plano. Para isso, você pode contar com a Poly Studio para guiar nesse processo de alinhar o marketing com educação.

O que é melhor para postar conteúdos? O Instagram, blog ou Facebook? Onde hospedar discussões? No Twitter, fórum pessoal ou Discord? Onde colocar vídeos? No Youtube, no Vimeo ou num LMS?

Todas essas decisões devem ser tomadas a partir de uma decisão consciente e definições de objetivos. Decidir agora por todas as redes sem um direcionamento claro por trás só minará seus esforços e diluirá o seu impacto. Conte com a Poly para tomar essas decisões contigo e para você.

12) Gerencie suas contas sob o mesmo teto.

O marketing de mídia social para sua empresa ou como sua marca pessoal deve se concentrar exclusivamente em fazer sua marca parecer a melhor opção para futuros alunos ou outras empresas.

Uma coisa que você precisa é uma ferramenta de gerenciamento de mídia social que facilite a publicação de conteúdo para cada uma das plataformas de mídia social da sua escola.

Você deve buscar uma ferramenta que conecte-se às suas redes sociais e permita que você produza e distribua os conteúdos e interaja com seu público conforme o seu planejamento.

Com isso, não existe “a melhor ferramenta” de gestão de conteúdo, mas sim aquela que se adequa às suas necessidades individuais. Até mesmo o Business Manager nativo do Facebook pode fazer o trabalho.

Comece a usar as redes sociais em conteúdos educacionais.

Você está pronto para experimentar essas dicas de uso de mídia social para ambientes educacionais? Existem muitos usos diferentes para a mídia social na sala de aula e no marketing educacional, e é hora de adotá-los!

Portanto, monte o seu planejamento estratégico de conteúdo, decida por quais canais você irá começar e acompanhe! Será crucial você testar os resultados para ver o que vale a pena – você pode acabar por decidir desligar um ou outro canal e avançar para outro. O importante é estar de olho se as métricas que você definiu no começo são válidas e confrontá-las com o impacto de seus conteúdos nas redes sociais.

Poly Studio - agência de design instrucional & customer education

Curso de Design Instrucional: Escrita Educacional

Aprenda como se tornar um produtor de conteúdo educacional

Copyright © 2021 Todos os direitos reservados